Comprar ou alugar um imóvel? Veja o que avaliar para escolher

Comprar ou alugar um imóvel é uma importante decisão, que envolve desde os gostos pessoais até as particularidades da família. Assim, tanto os valores e sonhos quanto as condições e possibilidades de cada opção devem ser considerados para decidir da melhor forma.

Existem vantagens e desvantagens para qualquer uma das escolhas, dependendo dos contextos de mercado e das necessidades da família. Por essa razão, alguns importantes aspectos devem ser analisados, de modo a garantir segurança na hora de definir qual caminho seguir.

Continue a leitura e saiba o que avaliar ao escolher entre comprar ou alugar um imóvel.

A hora certa para decidir por comprar ou alugar

A melhor opção entre comprar ou alugar um imóvel pode ser diferente em razão do momento pelo qual a pessoa está passando. Existem inúmeras variáveis capazes de influenciar e determinar a melhor hora para se tomar um ou outro caminho.

Por sua vez, é certo que o velho sonho brasileiro da casa própria tem alguns fundamentos culturais e emocionais. Mas, quando se trata de uma avaliação do aspecto financeiro da opção, muitas vezes o aluguel pode ser melhor, mesmo com aquela sensação de “dinheiro jogado fora todo mês”.

Na verdade, tal abordagem se aplica tanto no caso de disponibilidade do montante para aquisição à vista quanto na condição de ser necessário um financiamento para a compra. Em ambas as situações, o rendimento financeiro das aplicações existentes no mercado pode valer mais.

Desse modo, alugar o imóvel e aplicar o dinheiro da compra pode ser mais vantajoso. Da mesma forma, também pode ser melhor usar a diferença do valor da prestação (em caso de financiamento) quando for maior do que a quantia paga de aluguel para investir no mercado financeiro.

De qualquer forma, o tempo certo para decidir entre aquisição ou locação requer uma avaliação de diversos fatores envolvidos. Nesse caso, algumas questões têm natureza bastante pessoal e estão relacionadas não apenas às condições financeiras, mas também aos valores da família — que constituem uma variável importante a ser levada em conta.

Os principais aspectos a serem considerados na decisão

Para fazer uma boa avaliação, é preciso considerar o que é melhor do ponto de vista financeiro e segundo a ótica das necessidades ou condições da família. Existem vantagens e desvantagens que podem adquirir maior ou menor importância em tempos diferentes.

Situação e estabilidade econômica da família

Um aspecto que não pode deixar de ser considerado é a condição financeira da família. Nesse sentido, é essencial saber se o núcleo familiar está apto a adquirir um imóvel (à vista ou financiado) ou assumir um contrato de locação de modo estável.

Para tanto, é preciso projetar essa avaliação para os próximos anos nos casos de financiamento e locação. Em algumas situações, é necessário levar em conta ainda os custos de condomínio, quando aplicáveis.

Capital em caixa para dar entrada e cobrir os custos da compra

Na avaliação da possibilidade de adquirir um imóvel, é importante considerar o valor que se tem em caixa, isto é, o chamado “dinheiro na mão”. Esta quantia deve ser suficiente para quitar o imóvel ou pagar a entrada exigida, assim como para as despesas referentes à negociação.

O dinheiro em caixa (para a entrada ou quitação à vista) é a principal referência em uma comparação com a opção pelo aluguel. Esse valor, quando aplicado, renderia mais do que a quantia do aluguel? Seria mais interessante, portanto, aplicar os recursos e dispensar um valor mensal para a locação?

Capacidade de manutenção do imóvel

De maneira geral, os imóveis podem sofrer rápida depreciação se não forem adequadamente mantidos e cuidados. Ao comprar uma casa, é preciso levar em conta as despesas que vão surgir, essenciais para manter o imóvel sempre em boas condições.

Adequações estruturais, assim como diversos consertos necessários muitas vezes, costumam ser da responsabilidade do proprietário. Dessa forma, no caso de locação, tais despesas poderiam ocorrer, mas ser posteriormente ressarcidas.

Planejamento familiar

Uma pergunta que não pode deixar de ser feita se refere ao crescimento da família. Assim, o planejamento familiar está considerando mais gente vindo a morar na casa (filhos, pais, sogros)?

Além disso, existem outros sonhos a serem considerados? Trocar o veículo da família, fazer uma faculdade ou garantir uma boa escola para os filhos são anseios que exigem uma abordagem dentro do planejamento familiar, por exemplo.

Oportunidade de investimento

Como negócio (isto é: investimento), a aquisição da moradia precisa ser avaliada não apenas no momento, mas a partir de uma perspectiva mais ampla. É necessário que seja assim, pois o mercado de imóveis apresenta períodos de flutuação que não podem deixar de ser considerados.

A aquisição do imóvel para moradia é uma oportunidade de investimento no sentido de aquisição de patrimônio. Mas não se trata de um produto que entrará na dinâmica de compra e venda, como títulos ou ações que são negociados sempre que for vantajoso.

A avaliação de cada variável envolvida

Os aspectos mostrados acima devem ser avaliados um por um e em conjunto. Essa apreciação, diferente para cada condição familiar, deve orientar a decisão pela aquisição ou locação de um imóvel destinado à moradia da família.

Assim, as vantagens e desvantagens de cada alternativa precisam ser levadas em conta. Para tal fim, consideram-se de forma comparativa as vantagens de uma opção como desvantagens da outra.

Comprar

As principais vantagens da aquisição do imóvel podem ser assim resumidas:

  • importante iniciativa na formação do patrimônio da família a longo prazo;
  • facilidade de planejamento, em razão do valor fixo das parcelas (quando o imóvel for financiado);
  • possibilidade de adequação do imóvel às necessidades ou preferências da família.

Alugar

As vantagens mais relevantes da locação do imóvel para moradia são:

  • menor demanda de capital imediato, uma vez que não haverá a necessidade de entrada;
  • maior mobilidade para a família, em especial no caso de mudanças constantes;
  • maior possibilidade de dispor de recursos para investir ou aplicar.

Assim, comprar ou alugar um imóvel deve ser uma decisão precedida de uma boa avaliação, capaz de sustentar a escolha certa para cada família.

Gostou do post? Continue conosco em nossas redes sociais: estamos no Facebook, Twitter, Instagram e LinkedIn.

Guia prático de cuidados com a pele: identifique seu tipo e saiba como mantê-la saudável!

Cada tipo de pele tem suas peculiaridades. Alguns têm muita oleosidade, outros já são muito secos e há também uma pele mista, que envolve cuidados diferentes dos outros. É muito importante identificar o seu tipo para realizar os cuidados com a pele de forma adequada. Há uma série de medidas para garantir brilho, leveza e luminosidade, e também para evitar as espinhas e manchas.

Preparamos este conteúdo especial com informações relevantes sobre a temática, para que você possa definir qual seu tipo de pele e saber exatamente quais são os cuidados necessários. Ficou interessado? Continue acompanhando e saiba mais sobre o assunto!

Qual a importância dos cuidados com a pele para mantê-la sempre saudável?

Os cuidados com a pele são fundamentais para mantê-la sempre saudável. Como ela reveste e protege todo o nosso corpo e os órgãos internos, ela está exposta a muitos agentes que, a longo prazo, podem ser danosos. Sol, poeira, microorganismos, substâncias químicas e temperaturas extremas são alguns fatores que podem afetar a qualidade da pele.

Manter uma boa rede de cuidados contribui para a vitalidade e brilho, auxiliando na remoção das impurezas e no bloqueio de elementos prejudiciais. Os cuidados com a pele promovem a saúde, reposição de nutrientes e preservação da beleza.

Quais são os principais tipos de pele e os cuidados indicados para cada um?

Vamos mostrar a seguir quais são os principais tipos de pele e os cuidados para cada um. Veja mais!

Seca 

A pele seca tem um aspecto sem brilho, frágil e áspero, envelhecendo mais rapidamente com o aparecimento de linhas de expressão e rugas. É comum a descamação e a sensação de repuxamento.

Para que a pele seca se mantenha saudável, é fundamental hidratá-la de forma correta. Utilize produtos de glicerina e ceramida. Aplique água termal durante o dia e utilize cremes hidratantes. Evite água muito quente e banhos demorados.

Além disso, uma boa alternativa é aplicar bases líquidas quando for se maquiar e utilizar protetor solar específico para o seu tipo de pele. Evite esfoliantes e cosméticos à base de álcool.

Mista 

A pele mista conta com áreas secas (bochechas, região dos olhos) e outras partes que são oleosas, na testa, nariz e queixo (a chamada zona T). Os cosméticos para quem tem pele mista têm dupla ação. O produto equilibra a oleosidade e, nas áreas mais secas promove hidratação.

Além disso, outros cuidados são importantes. É fundamental higienizar a pele duas vezes por dia. Não exagere nas lavagens, pois elas podem estimular o aumento das secreções nas glândulas sebáceas na região T. Lembre-se também de utilizar protetor solar livre de óleo.

Destacamos também que é recomendado usar produtos à base de gel, que não acumulam nos poros. Quando for escolher um demaquilante, procure os que têm zinco, pois eles promovem a limpeza e fazem bem para a pele. Você pode também utilizar espumas e mousses.

Oleosa 

A oleosidade pode estar associada a diversos fatores, como o uso de produtos inadequados ou desregulações hormonais. A pele oleosa tem uma tendência maior ao aparecimento de espinhas, tendo poros mais dilatados. Ela pode ter um certo brilho, que pode ser reduzido com base que tenha efeito mate.

Caso haja acne, é necessário procurar orientação médica. Um cuidado importante é o uso de filtro solar livre de óleo. Além disso, cremes com própolis, ureia, aveia e semente de uva devem ser evitados. Isso porque eles podem estimular a produção de óleo pelas glândulas sebáceas. Além disso, para lavar a face, utilize sabonetes com enxofre ou à base de ácido salicílico.

Normal

A pele normal é muito pouco frequente, devido aos efeitos da poluição. Ela tem chances menores de desenvolver espinhas, além de contar com uma textura aveludada e boa elasticidade. Há também um risco menor de formação de imperfeições e manchas. Para cuidar da pele, utilize protetor solar e lave com sabonete e tônico facial. 

Sensível

A pele sensível é mais seca, intolerante aos estímulos e suscetível a ter reações. Efeitos como coceira, irritação, repuxamento e desconforto podem aparecer em alguns casos. Bebida alcoólica, mudanças de temperatura e alimentos muito temperados também podem gerar reações. 

A pele pode ter problemas passageiros ou condições crônicas, como a rosácea. A melhor forma de cuidar da pele sensível é procurar o dermatologista, para saber quais são os cosméticos mais indicados.

Alguns cuidados valiosos são evitar banhos quentes e demorados, utilizar filtro solar diariamente, usar sabonete neutro, sem álcool, parabeno e sem fragrâncias, além de utilizar produtos para peles sensíveis que não tenham odor. Para definir quais cremes utilizar, consulte um especialista.

Quais são os cuidados que valem para todos os tipos de pele?

Há vários cuidados que valem para todos os tipos de pele. Veja mais a seguir!

Remova a maquiagem antes de dormir

Dormir com maquiagem traz diversos prejuízos para a pele, obstruindo os poros e favorecendo o aparecimento de cravos, manchas, espinhas e sinais de envelhecimento. Além disso, os resíduos sobre os poros estimulam o tecido cutâneo a não absorver adequadamente os nutrientes de cremes e hidratantes. Fazer da remoção de maquiagem uma rotina vai ajudar a preservar o brilho e a luminosidade da sua pele.

Alimente-se bem

A falta de nutrientes pode tornar a pele mais frágil e quebradiça. Lipídeos, vitaminas e sais minerais são fundamentais para manter a saúde e a beleza. É importante ingerir vegetais diversificados, verduras, frutas e grãos integrais para deixar a pele firme e bonita. Beber muita água também é um cuidado importante com a pele.

Tônico facial

Sabonete e água removem as impurezas parcialmente, cerca de 60%. Para ficar com a pele realmente limpa, o tônico é fundamental. Ele desobstrui poros e fortalece o tônus da pele.

Hidrate o rosto

Todos os tipos de pele precisam de hidratação diária. Com o passar do tempo, a pele sofre ressecamento, demandando mais cuidados. Pesquise bem antes de comprar, escolha produtos que sejam adequados ao seu tipo de pele e crie uma rotina de beleza bem programada.

Os cuidados com a pele são essenciais para manter a luminosidade, o brilho e a vitalidade dela. É fundamental identificar primeiro qual é o tipo da sua pele, para depois saber quais são as medidas para preservá-la e mantê-la bonita e sadia. Neste post, você pode aprender uma série de atitudes para que sua rotina de beleza seja um sucesso.

E então? Gostou de aprender sobre os cuidados com a pele? Aproveite e compartilhe essas informações preciosas com suas amigas nas redes sociais!

Saiba quando comprar passagem aérea para obter os melhores preços

Parte essencial de qualquer viagem é a compra das passagens. Se forem aéreas, é sempre importante considerar que o preço dos tickets de tal forma de transporte oscila muito, o que pode comprometer o orçamento dos viajantes desavisados.

Por isso, é essencial saber quando comprar passagem de avião para conseguir viajar pagando menos e, quem sabe, aproveitar o dinheiro economizado no destino. Para facilitar sua vida e ajudar seu bolso, neste post vamos explorar quais fatores impactam na composição dos bilhetes das companhias áreas e o que você pode fazer para economizar na escolha. Boa leitura e bom voo!

De que maneira o valor das passagens aéreas é definido?

A composição dos preços dos bilhetes aéreos é bastante complexa, com inúmeras variáveis interferindo. Além disso, diferentemente de outros meios de transporte, não há regulamentações sobre os valores das passagens de avião, o que faz com que a flutuação seja livre.

Nessa conta, entram principalmente a demanda de passageiros para o destino escolhido e a antecedência do voo, conforme exploraremos mais abaixo neste conteúdo. Outros aspectos aparentemente menores também fazem o preço subir ou descer, como o dia da semana da viagem ou mesmo seu horário.

Assim, é extremamente comum que passagens idênticas, com o mesmo destino e tipo de poltrona, tenham preços discrepantes. Por isso, economizar com passagens aéreas envolve um exercício de planejamento, paciência e até um pouquinho de sorte.

Como cada fator impacta no preço das passagens?

Diante do fato de que o valor a ser pago pelas passagens é composto por meio de uma estratégia de preço complexa, deve-se conhecer como cada fator contribui para isso. Abaixo, listamos os principais pontos a serem observados e o que você deve fazer para contorná-los ou usá-los a seu favor.

Antecedência

Como regra, quanto menor for o tempo para a viagem, maior será o preço a ser pago. Portanto, para economizar, planeje-se e busque sempre adquirir os bilhetes com antecedência.

Não há uma regra para isso, mas o recomendável é fazer a compra em períodos que vão de seis meses a 30 dias antes do embarque (no caso de voos internacionais). Em trajetos nacionais, a janela para conseguir preços melhores é um pouco maior, podendo chegar até 20 dias antes da viagem.

Destino e época do ano

Pensando em viajar nas férias? Que tal no ano-novo? Provavelmente, várias pessoas terão a mesma ideia, o que fará o preço das passagens subir às alturas. Por isso, quem quer economizar deve conhecer quais são os momentos de pico das cidades e dos países desejados para ter flexibilidade quanto a isso.

É normal, por exemplo, que julho e agosto concentrem os principais fluxos de turistas rumo a localidades no hemisfério norte, como Estados Unidos e Europa. Isso porque tal período concentra as férias escolares longas e o clima mais confortável do verão nos referidos locais.

A mesma lógica vale para os meses de dezembro e janeiro, uma vez que inúmeros turistas desejam passar a virada do ano em cidades turísticas ou desfrutar do inverno nesses países. Feriados prolongados também costumam encarecer o preço dos bilhetes — principalmente para destinos mais próximos, como outros países da América do Sul.

Diante dessas circunstâncias, seja flexível e mantenha a mente aberta para viagens em épocas do ano não tão comuns ou mesmo destinos menos conhecidos. Mas pense sempre em opções que estejam dentro de suas possibilidades.

Que tal viajar no meio do semestre e não no período de maior fluxo? Ou pegar um voo mais barato, mesmo que tenha um número maior de conexões, e assim conhecer essas outras cidades pelo caminho?

Para quem não conta com tanta flexibilidade, a recomendação é tentar ao menos viajar evitando passagens para os fins de semana quando a procura é maior. Bilhetes marcados para terças ou quartas costumam ter um preço mais em conta do que aqueles comprados para uma sexta ou um domingo.

Promoções

Do mesmo modo que certos fatores elevam o preço das passagens, com algumas estratégias e mantendo a perseverança é possível encontrar promoções que tornam o valor dos bilhetes menos salgado. Para poder aproveitá-las, deve-se acompanhar os canais oficiais das companhias áreas, já que a maioria delas é divulgada por newsletters ou redes sociais.

Nessa hora, algumas ferramentas podem dar uma ajuda valiosa. Entre as principais, estão os agregadores de pesquisas de passagens, capazes de comparar o preço de uma mesma passagem em vários locais diferentes com poucos cliques.

Além disso, alguns deles indicam tendências sobre a elevação ou queda do valor, permitindo a configuração de alertas que enviam notificações no momento em que o preço fica abaixo de um número predeterminado.

No caso das pessoas com mais sangue frio, algumas promoções costumam acontecer com os bilhetes comprados de última hora, já que para as companhias áreas é melhor ter alguém pagando pouco do que voar com o assento vazio. Mas nunca conte com essa opção para pagar menos.

Outra estratégia comum que as empresas do setor utilizam para não deixar locais vagos é oferecer vantagens a quem paga a passagem com milhas ou pontos acumulados no cartão de crédito.

Há também algumas estratégias com ares de lenda urbana, por serem de difícil comprovação. A mais comum é pesquisar pelas passagens com o histórico do navegador sempre limpo ou abas anônimas. Em tese, isso evitaria que seus interesses fossem analisados pelo site da companhia aérea, um mecanismo utilizado para fazer subir ou descer o preço das passagens.

Além de saber quando comprar passagem pelo menor preço, usar plataformas que rendam o chamado cashback a partir da aquisição é uma estratégia válida para gastar menos. O cashback consiste em um sistema no qual parte dos valores gastos pelo cliente é paga de volta a ele, com o intermédio de sites parceiros. Quando uma quantia mínima for atingida, o resgate é liberado para ser utilizado conforme a vontade do consumidor.

Quer conhecer a melhor forma de obter cashbacks na hora de garantir sua viagem? Então, conheça a Mooba Cashback, que conta com diferentes parceiros que vendem passagens áreas e devolve a você parte do valor pago. Não perca mais tempo e entre em contato conosco!

Conheça 6 lugares incríveis para viajar com crianças

Se você está procurando lugares para viajar com crianças, lembre-se de que a escolha do destino é uma das partes mais importantes do seu planejamento. O local deve oferecer estrutura e atrações compatíveis com a faixa etária dos pequenos turistas.

Neste post, separamos 6 destinos incríveis e com estrutura e diversão garantida para toda a família. Continue a leitura e descubra!

1. Beach Park (CE)

O Beach Park é um complexo turístico que oferece o maior parque aquático da América Latina. Localizado no litoral do nordeste brasileiro, ele possui uma área total de 20.000 m², sendo 13.000 m² de parque aquático.

É uma excelente opção de passeio para toda a família em qualquer época, já que a região se caracteriza pelo clima agradável durante o ano inteiro.

2. Olímpia (SP)

A cidade de Olímpia, localizada no estado de São Paulo, também se destaca pelas atrações turísticas voltadas para o público que gosta de aventuras aquáticas.

A principal atração é o parque Thermas dos Laranjais, que oferece mais de vinte piscinas térmicas. Destacam-se a famosa piscina de ondas e a diversidade de toboáguas, destinados a crianças de diferentes faixas etárias.

3. Bourbon Atibaia (SP)

O resort, localizado em São Paulo, é um dos destinos mais indicados para quem tem filhos e quer uma opção de viagem que traga tranquilidade para os pais e opções de diversão para as crianças.

A equipe de recreação do resort oferece uma programação ampla que se inicia logo cedo e se estende até depois das 22h. As atividades incluem brincadeiras, piscina, miniarvorismo, pula-pula, espaços para pintura, entre outras.

4. Beto Carrero World (SP)

O Beto Carrero World é um parque temático com atividades para toda a família. Localizado no litoral norte de Santa Catarina, ele tem atrações que vão desde os brinquedos radicais, passando por zoológico até apresentações temáticas.

Se você planeja conhecer o parque, programe-se com antecedência e avalie visitar o local em períodos de menor movimento. Em algumas épocas do ano, as filas são gigantescas e o tempo de espera para brincar em algumas atrações pode se tornar um problema.

5. Gramado (RS)

Gramado é uma cidade localizada na Serra Gaúcha, famosa pelo seu clima frio. É um destino bacana para toda a família. Além da gastronomia inesquecível, a cidade oferece diversas atrações para as crianças, como parques temáticos e fábricas de chocolate.

5. Orlando (EUA)

A nossa última atração está fora do Brasil. Orlando é uma cidade localizada na Flórida, muito famosa entre turistas do mundo inteiro. A cidade abriga vários parques temáticos, entre eles o Walt Disney World e o Universal Orlando. Lá, você vai encontrar atrações destinadas para todas as faixas etárias — acredite, os adultos também amam!

Em algumas dessas atrações, os ingressos já podem ser adquiridos online, assim como a realização de reservas. Antes de escolher o destino, você deve sempre avaliar qual é a melhor temporada, as opções de hotéis próximos dos parques e a estrutura para atendimento médico em caso de necessidade.

Com planejamento e uma boa pesquisa prévia, é possível fazer uma viagem tranquila e que vai ficar marcada na memória de toda a família.

Gostou das nossas indicações? Tem dicas de outros lugares para viajar com crianças? Deixe um comentário e compartilhe conosco.

Quanto custa viajar para a Disney? Veja como viajar economizando

Sair de férias e ir com a família ou os amigos para a Disney é o sonho de muita gente, mas esse sonho ficou bem mais caro com o real depreciado em relação ao dólar. No entanto, existem diversas formas de economizar e viabilizar essa viagem.

Por isso, vamos ver quanto custa viajar para a Disney, além de quais são as opções para reduzir os gastos e passar dias maravilhosos nos parques de Orlando. Adiantando, saiba que dá para poupar em quase tudo: passagem, hospedagem, alimentação, ingressos para os parques, compras e transporte.

Neste post, damos todas as dicas para você se dar bem sem entrar no vermelho. Confira!

Quais são os principais gastos de uma viagem para a Disney?

Vamos começar falando quais são as principais despesas que temos quando vamos para Orlando. Os três itens de maior preço são: passagens, hospedagem e ingressos para os parques. Sim, os ingressos são caros: custam uma média de US$ 100 por dia a cada parque.

Se você for em uma família de quatro pessoas, por exemplo, são US$ 400. Caso vá aos parques em sete dias, já são US$ 2.800. Considerando, para o nosso exemplo, que o dólar esteja cotado a R$4,30, temos R$ 12.040 apenas de ingressos.

Além desses gastos, há alimentação, transporte e compras — porque ninguém é de ferro!

Como economizar na viagem para a Disney?

Agora que já sabemos quais são as principais despesas, vamos ver como gastar menos em cada uma delas.

Acomodação

Quando pensamos na Disney, já nos imaginamos naqueles hotéis dentro dos parques, vivendo o mais intensamente possível a experiência. Sim, essas hospedagens são legais, mas também são bem mais caras.

Sem contar que, depois de passar um dia inteiro caminhando no parque, você só quer uma cama para deitar, então essa experiência pode nem valer tanto a pena assim. Existem duas outras opções mais baratas e que podem economizar uns bons cobres.

A primeira delas é ficar em um hotel fora dos parques. Existem vários muito bons por preços bem mais camaradas. A segunda é alugar uma casa. É possível ficar bem acomodado, em locais grandes, confortáveis e espaçosos, pagando bem menos do que nos hotéis da Disney.

Dê preferência às casas dentro dos condomínios, que são totalmente seguras e, muitas vezes, têm piscinas privativas — o que é excelente se você for no verão. Essa opção ainda traz uma vantagem adicional, que veremos a seguir.

Alimentação

A comida nos parques é cara. Quanto à qualidade, tem de tudo, mas alugar uma casa pode ajudar muito se a ideia for economizar. Compre os alimentos no supermercado para fazer o café da manhã e o jantar em casa.

Nos Estados Unidos, a oferta de pratos prontos congelados é enorme e sai muito mais barata do que comer fora. Mesmo que você não esteja no pique de cozinhar, dá para chegar em casa, colocar no micro-ondas e ser feliz gastando muito pouco.

Ainda que esteja hospedado em um hotel, muitos deles disponibilizam o micro-ondas para os hóspedes. Basta passar no mercado na volta para casa e pegar sua refeição.

Compras

As pessoas que entram nos parques acabam se encantando com as lojas, pois tudo é lindo e você está envolvido por aquela experiência. Mas a verdade é que tudo lá dentro é bem mais caro. Você consegue comprar os mesmos itens em qualquer supermercado pagando muito menos. Por isso, não se empolgue.

Além disso, quem quer fazer compras mesmo deve reservar um tempo para ir aos dois outlets de Orlando. Uma dica é entrar nos sites das lojas e pegar os cupons de desconto, que são sempre uma ótima forma de economizar.

Outra forma de conseguir bons preços é comprando online (na Amazon de lá, por exemplo) e mandando entregar onde você estiver hospedado.

Passagens aéreas

Não chega a ser uma novidade dizer que viajar na baixa temporada é muito mais barato do que na alta. O problema é que muita gente só consegue ir na alta mesmo, especialmente quem tem filho em idade escolar.

Independentemente disso, passagens compradas com uma boa antecedência costumam ser bem mais baratas. Adquira as suas pelo menos cinco meses antes, pois os preços logo começam a subir.

Transporte

A melhor forma de se locomover em Orlando é alugando um carro. A cidade é grande e os parques são distantes uns dos outros. Caso você queira fazer compras, o veículo também vai ser útil. É possível encontrar diárias por volta de US$ 50. Use um comparador de preços para achar a opção ideal para você.

Uma dica importante: quando chegar lá, compre um chip para o seu celular, que custa apenas US$ 55 e dá direito a ligações, internet e SMS ilimitados. Assim, você pode usar seu celular de GPS e não precisa alugar o que as locadoras oferecem para o carro, que representa um adicional de US$ 10 por dia.

Ingressos

Muitas pessoas deixam para comprar os ingressos na bilheteria dos parques. No entanto, isso pode ser um erro. Além de pagar os 6% de IOF pelo fato de comprar em dólar, lá não é possível parcelar o pagamento.

Sem contar que muitas agências de viagens no Brasil conseguem ingressos com descontos e fazem pacotes promocionais. Então, vale a pena pesquisar antes de ir e já sair do Brasil com uma obrigação financeira a menos.

Cashback

Você sabia que é possível receber de volta parte dos valores gastos nas passagens aéreas ou nos pacotes para a Disney? Para tanto, basta fazer a compra em uma das lojas parceiras da Mooba — como a Submarino Viagens, que está com 3,5% de cashback.

Vamos supor que você compre um pacote de dez dias para uma família de quatro pessoas, com duas crianças, por R$ 9 mil (incluindo passagens e hospedagem). Com esse valor, seria possível receber R$ 315 de cashback. Já é uma boa economia, não?

Neste conteúdo, vimos quanto custa viajar para a Disney e também quais são as melhores formas de gastar menos, transformando um sonho em realidade mesmo com a cotação do dólar nas alturas. Não deixe de aproveitar as férias com a família e se divertir bastante!

Gostou do nosso conteúdo? Então, curta também nossa página no Facebook e acompanhe em tempo real outros conteúdos como este!

Não sabe como escolher um celular? Veja o que levar em consideração

Provavelmente, muitas das atividades do seu dia são resolvidas ou orientadas por meio de um celular: acordar pela manhã, fazer compras online e pedir o jantar são apenas algumas possibilidades. Inclusive, são grandes as chances de você estar lendo este texto na tela de um smartphone.

Os celulares se tornaram objetos de consumo bastante procurados. Mas como escolher um celular que cumpra sua missão e deixe o usuário satisfeito? Uma boa pesquisa seguindo os aspectos mencionados ao longo deste post pode ajudar bastante. Confira!

Memória e processador

Boa parte do desempenho de um celular passa pela combinação entre memória RAM, processador e memória interna adequados. Isso diminui a frequência de engasgos nos apps e a necessidade de apagar constantemente conteúdos salvos para liberar espaço de armazenamento.

De forma resumida, o processador atua como o “cérebro” do telefone: quanto melhor ele for, mais rapidamente serão desempenhadas as tarefas solicitadas. Atualmente, a maioria dos modelos usa processadores com entre 2 e 8 núcleos, número que atende grande parte dos usuários. Com relação à memória RAM, o ideal é que ela seja superior a 2 GB, no mínimo.

Por fim, dê preferência a aparelhos com memória interna a partir de 32 GB e que disponham de entrada para cartão de memória, o que permite a expansão da capacidade de armazenamento.

Bateria

Não quer ficar pendurado na tomada por causa do seu celular? Observe qual a autonomia da bateria. A capacidade desse item é medida por meio da unidade miliampere-hora (mAh). De forma resumida: quanto maior o número de mAh, maior a capacidade de armazenamento de energia. Assim, a recomendação é procurar aparelhos com mais de 3000 mAh.

Todavia, é preciso ter em mente que outros fatores impactam na duração da bateria: o processador, o tamanho da tela e a intensidade de uso são alguns exemplos.

Câmera

Para quem não quer perder nenhum registro no seu dia a dia, é importante contar com uma câmera que não faça feio. Nesse quesito, é preciso desmistificar a noção de que apenas mais megapixels representam qualidade superior nas fotos.

É recomendável fugir de aparelhos com menos de 8MP, mas também fique atento à abertura do foco (o ideal é ser superior a 1.7), bem como aos softwares de tratamento de imagens adotados pelos fabricantes para melhorar a qualidade das fotos.

Design

O design combina, basicamente, o tamanho do celular, suas curvas e o material do qual ele é composto. O tamanho da tela varia de acordo com a preferência pessoal: por um lado, quanto maior, melhor será a visualização de vídeos e fotos; por outro, será mais difícil manipular o aparelho com uma única mão.

Celular com traseiras e laterias de vidro ou metal (ou de ambos) dão um ar de sofisticação aos aparelhos, mas os tornam mais sensíveis a impactos e quedas. De todo modo, nem sempre um celular bonito é aquele com as melhores configurações.

Depois de conferir essas dicas de como escolher um celular, uma boa forma de orientar sua busca pelo aparelho ideal é se perguntar quais serão os seus principais usos. Quem só utiliza aplicativos básicos, como redes sociais ou trocas de mensagens, poderá se sair bem e economizar bastante com modelos mais simples. Mas esses modelos dificilmente serão adequados para quem precisa de mais desempenho. Nesse caso, precisará desembolsar mais na hora da compra mesmo.

Conhece um amigo que está à procura de um celular novo? Mostre este guia a ele compartilhando o post nas suas redes sociais agora mesmo!

Confira (x) dicas para arrasar na harmonização de vinhos

Os vinhos são ótimas companhias em praticamente todas as refeições, desde almoços em família até jantares mais elaborados. Se bem escolhida, essa bebida consegue até mesmo realçar o sabor de cada alimento, contribuindo para que seus pratos sejam ainda mais saborosos.

Para fazer uma boa harmonização de vinhos (nome dado a essa combinação de bebida e prato), confira algumas dicas para diferentes tipos de alimentos. Tenha uma boa leitura e bom apetite sempre!

Carnes brancas

Por conterem menos gordura, carnes de frango, de alguns peixes e demais proteínas brancas combinam bem com a maioria dos vinhos brancos e com alguns vinhos tintos suaves, principalmente aqueles feitos a partir de uvas Chardonnay, Pinot Noir e Roussanne.

Pense sempre em eventuais molhos que acompanham a carne. Além disso, lembre-se de que peixes com gosto mais forte ou frutos-do-mar com sabor mais realçado demandam outras harmonizações, com vinhos mais encorpados.

Carnes vermelhas

Carnes vermelhas são bastante versáteis e contam com uma grande variedade, desde os cortes bovinos mais comuns até carnes de caça, como cordeiro.

Para carnes com gosto mais suave, indicamos vinhos com bastante tanino, substância presente nas uvas que confere corpo à bebida. Quanto ao tipo de uva, as sugestões são Merlot e Syrah.

Já para carnes com sabor mais notável, como as de caça, invista em vinhos mais ácidos e com mais aromas, como os feitos a partir da uva Tempranillo.

Queijos

O queijo também é um alimento cujo tipo escolhido para ir à mesa interfere no vinho a ser colocado nas taças. Vinhos mais leves combinam com queijos suaves e frescos, sem gosto marcante. Ricota, muçarela e queijo coalho caem muito bem com vinhos brancos leves.

Queijos amarelos e com maior tempo de maturação tendem a ter gosto mais forte, o que abre caminho para vinhos tintos com aroma leve e corpo mais realçado, alternando entre a alta e a média intensidades. Aqueles produzidos a partir de uvas Merlot e Cabernet Sauvignon são as indicações nessa situação. Esses queijos permitem também uma boa harmonização com espumantes.

Por fim, queijos azuis, como o gorgonzola e o roquefort, se dão bem com vinhos brancos aromáticos ou vinhos tintos frisantes.

Comidas com molho

A harmonização com comidas com molho vai depender, sobretudo, do ingrediente principal da receita. Uma ave coberta com qualquer molho, por exemplo, pede um vinho mais leve. Já um macarrão com molho de tomate não fará feio acompanhado de um tinto seco. Se o molho for feito à base de queijo, opte por vinhos mais marcantes, como os de uvas Merlot ou Cabernet Sauvignon.

Risotos

A maioria dos risotos tem sabor neutro, então, prefira vinhos caracterizados pela suavidade no paladar. Geralmente, um vinho branco é uma boa escolha. Contudo, se no preparo do prato forem incluídos ingredientes como queijos amarelos e cogumelos, abra uma garrafa de um vinho com mais intensidade.

Sobremesas

Sobremesas também pedem um bom vinho. A maioria delas se dá bem com vinhos brancos, espumantes e vinhos rosé. A exceção são aquelas feitas com chocolate, que permitem uma boa harmonização com Vinho do Porto, conhecido por sua intensidade.

Agora que você conhece as melhores recomendações para harmonização de vinhos, que tal conhecer bons locais para comprar a bebida? Nossas indicações são a Wine e a Vinho Fácil, que oferecem cashback pela Mooba. Assim, em toda compra, uma parte do valor gasto é devolvido e você pode usá-lo como quiser.

Para entender melhor como funciona o cashback e aproveitar suas vantagens, veja este guia completo disponível aqui no blog.

Veja o que comprar na Blackfriday para aproveitar as promoções

A blackfriday se consolidou no calendário de compras dos brasileiros. Tanto que uma pesquisa demonstrou que 66% dos consumidores vão aproveitar a data para antecipar as compras de Natal, principalmente por causa dos bons descontos oferecidos nessa ocasião.

A data para as promoções nesse ano é 29 de novembro. Com tão pouco tempo faltando, você já sabe o que comprar na blackfriday? Para aproveitar boas ofertas e não cair em preços que não são tão vantajosos assim, é importante analisar desde já para saber o que vale a pena ou não comprar.

Para ajudar, preparamos uma lista com produtos que você deve ficar de olho. Confira!

Notebooks

Segundo o Google, 44% dos produtos comprados na blackfriday nacional são eletrônicos. Nesse cenário, os notebooks são um dos destaques. Contar com a mobilidade dos computadores portáteis é o desejo de muitos consumidores, que podem aproveitar a data para investir no primeiro aparelho do tipo ou fazer a troca por um mais moderno, já que os descontos costumam ser tentadores.

Para acertar na compra, avalie qual será o uso principal do dispositivo para então definir a necessidade de memória e capacidade do processador. Notebooks gamers são mais potentes que aqueles utilizados para apenas navegar na internet, por exemplo. Entretanto, isso faz com que seu preço seja maior.

Celulares

Os celulares também chamam a atenção nessa data. Além das dicas utilizadas para escolher um notebook, quem quer comprar um bom smarphone na blackfriday deve ficar de olho no ano do lançamento do modelo ofertado, bem como na reputação da fabricante.

Televisores

Fechando o trio de eletrônicos mais procurados da blackfriday estão os televisores. Para quem quer trocar de aparelho nessa oportunidade, a recomendação é observar, além do tamanho da tela, a resolução (que variam entre o HD e o 4K) e quais as conexões disponíveis para cada modelo.

Quem quer aproveitar serviços de streaming com mais comodidade deve procurar modelos com conexão wi-fi e já conte com o aplicativo da plataforma de conteúdo embutido, o que facilita na hora de assistir à série ou filme escolhido, sem a necessidade de outros dispositivos.

Brinquedos

Já no ritmo do Natal, os brinquedos têm uma ótima procura na blackfriday. Além da criatividade na hora de faz a diversão das crianças, é preciso ter atenção a alguns pontos desse produto.

O primeiro deles é relativo a faixa etária de cada brinquedo. Além disso, verifique que o produto é seguro e conta com os selos de certificação necessários para que a criança possa se divertir com ele sem colocar em risco a si mesmo ou outras pessoas.

Viagens

A blackfriday também traz boas oportunidades para quem quer arrumar as malas e viajar. Os descontos vão desde diárias em hotéis, passagens de avião ou mesmo em pacotes completos comercializados por agências de turismo. Para evitar ciladas, compare os preços oferecidos, se planeje para que a viagem seja compatível com sua agenda e veja o que é oferecido pelo pacote escolhido.

Depois de listar o que comprar na blackfriday, procure por sites que, além de boas ofertas, ofereçam cashback por meio da Mooba. Entre as principais parceiras que prometem descontos incríveis nessa data estão o Submarino, a Amazon e as Lojas Americanas. Então aproveite a oportunidade para pagar menos no produto desejado e receber parte do valor gasto de volta.

Quer saber mais? Conheça a Mooba Cashback acessando o nosso site agora mesmo.

Conheça as 4 melhores praias do Brasil

Conforme o final do ano se aproxima, já começamos a pensar em tirar uns dias de férias, não é? No Brasil, verão e calor são sinônimos de praia. Nada melhor do que passar um tempo curtindo o sol, bebericando alguma coisa, praticando esporte, nadando, caminhando pela beira da água ou apenas apreciando a natureza.

Com 7.367 km de costa, o país oferece opções para todos os gostos, mas, ainda assim, algumas praias se destacam pela beleza. Quer saber quais são? Vamos listar aqui as melhores praias do Brasil para ajudar você a escolher seu próximo destino. Continue acompanhando para conhecer!

1. Arraial do Cabo (RJ)

Quem vai pela primeira vez à cidade de Arraial do Cabo fica boquiaberto. De fácil acesso, a 162 km da cidade do Rio de Janeiro, Arraial é um dos municípios da Região dos Lagos e oferece um litoral deslumbrante.

Ali ocorre um fenômeno conhecido como ressurgência: ele traz para a superfície águas profundas, ricas em vida marinha. Soma-se a isso as águas muito claras das praias. Assim, temos um local perfeito para o mergulho.

Todas as praias da pacata cidade são lindas, mas podemos destacar a Praia do Farol, que fica na Ilha do Farol, onde só se chega de barco. As águas são absolutamente cristalinas e o mar é calmo, então é possível nadar com tranquilidade.

Como em toda a região, o senão fica por conta da temperatura da água, bem gelada em razão das correntes marítimas que circulam na região.

2. Maragogi (AL)

As galés de Maragogi são sempre citadas nas listas de melhores viagens do país, e não é para menos! As galés são piscinas naturais que se formam por causa dos recifes de corais na maré baixa. São três conjuntos de piscinas próximos à orla de Maragogi: em frente ao resort Salinas Maragogi; piscinas de Taocas, em frente à praia de Maragogi; e Barra Grande, em frente à praia de mesmo nome.

Para ir até lá, é preciso pegar um dos catamarãs que ficam à disposição dos turistas. O trajeto é bem curto, e, ao chegar, vale a pena alugar um snorkel para ver, pelas águas cristalinas, os peixes, corais e animais marinhos, que ficam bem juntos de você.

3. Morro de São Paulo (BA)

A apenas 60 km da capital baiana, Morro de São Paulo faz parte do Arquipélago de Cairu, com 26 ilhas, das quais apenas 3 são habitadas. Por ter muitas ladeiras, como o nome deixa claro, e os carros serem proibidos na ilha, esse não é um destino para quem tem dificuldades de locomoção.

Para chegar lá, existem duas opções: fazer uma viagem de duas horas e meia de catamarã ou percorrer um trecho de barco até a Ilha de Itaparica, depois pegar um ônibus até Valença e mais uma lancha até Morro.

Se mesmo com as dificuldades de acesso o local faz tanto sucesso é porque as belezas compensam. Experimente ver o pôr do sol do Mirante do Farol. Depois, basta curtir as praias, que são numeradas: Primeira, Segunda, Terceira, Quarta e Quinta. Enquanto a Terceira é o ponto de saída dos barcos, a Quarta é onde se formam as piscinas naturais na maré baixa — e nem é preciso mergulhar para ver os peixes!

4. Fernando de Noronha (PE)

Nenhuma lista de melhores praias do país pode deixar Fernando de Noronha de fora. A ilha pernambucana tem tudo: praias selvagens, corais preservados e uma abundante vida marinha.

A ilha recebe apenas 1.000 visitantes por dia, o que garante tranquilidade para os nativos, para os próprios turistas e a preservação do paraíso. A melhor época do ano para visita é de agosto a fevereiro, pois é a estação seca.

Uma vez lá, aproveite para conhecer algumas das mais lindas praias do país, como a Baía do Sancho, a Baía dos Porcos e a Praia de Atalaia, que faz parte de uma área de proteção ambiental e onde se forma, na maré baixa, uma piscina natural com um aquário de vida marinha.

Na hora de decidir o seu próximo destino, leve em consideração o seu perfil e as condições da sua viagem. Fernando de Noronha, por exemplo, pode ser uma viagem mais cara. No local, é preciso pagar uma taxa de preservação ambiental de R$68,74 por dia por pessoa para ficar lá. Além disso, os preços costumam ser altos. Já Arraial do Cabo é um destino com preços mais acessíveis, se você pensa em economizar na viagem.

Viajar a lazer é sempre uma boa pedida. Já foi para algumas das melhores praias do Brasil ou tem outras dicas? Conte para a gente nos comentários!

Aprenda agora mesmo como comprar roupa online sem riscos

Comprar pela internet pode trazer bastante praticidade e variedade para sua vida, mas muita gente ainda tem medo de tentar esse tipo de compra e ter problemas. Porém, esse processo pode ser fácil, e é só tomar alguns cuidados para sair satisfeito no final. Com as nossas dicas especiais sobre como comprar roupa online, você vai ter sucesso na tentativa!

Preparado para aprender um pouco mais sobre o consumo pela internet e também para conhecer quais questões observar na hora de comprar sua roupa pelo meio virtual? Continue acompanhando o conteúdo!

Quais são as principais vantagens de comprar roupas pela internet?

Comprar roupa online é uma alternativa muito vantajosa. A medida traz conforto, pois você evita filas, trânsito e deslocamento para lojas físicas e shoppings, que também podem estar bem cheios. Você faz o processo todo sem sair de casa, apenas com boas pesquisas e alguns cuidados.

Além disso, a diversidade de opções é grande e as lojas estão sempre se atualizando. Com as compras de roupas pela internet, você vai ter um guarda-roupa variado e cheio de peças que combinam com você e com seu estilo.

Como comprar roupa online?

Para comprar roupas online, há alguns cuidados a serem tomados. Veja quais são eles a seguir!

Observe as informações do produto

Conhecer o material da peça é importante para levar uma opção que se encaixa em seus gostos e suas necessidades. Por exemplo, as fibras naturais são aquelas com mais movimento e elasticidade. Elas deixam a pele respirar, sendo mais frescas e resistentes. Os tecidos planos são os que têm menos movimento e elasticidade e que amassam pouco.

Veja o que você está precisando e observe bem o material antes de fazer a compra. Uma boa dica é verificar as etiquetas do que já tem em seu guarda-roupa e optar por tecidos e modelos das peças que você mais gosta.

Analise a tabela de tamanhos

Essa ação é muito importante para acertar o tamanho e a roupa ficar adequada ao seu corpo. Para blusas, observe as medidas de ombro, manga, peito e comprimento. Para shorts e calças, é preciso medir cintura, quadril, altura e comprimento. Alguns e-commerces fornecem imagens que mostram exatamente a forma de tirar a medida.

Não compre em lojas desconhecidas

Fazer isso pode ser um pouco arriscado. Assim, a melhor estratégia é consumir em lojas virtuais que você já conhece ou recomendações de pessoas de confiança.

Veja os comentários sobre o produto

Verificar os comentários sobre o produto é importante para evitar transtornos. Se houver alguma questão negativa , procure alternativas. Busque artigos elogiados e que têm pontuações positivas.

Confira a integridade da loja

Um cuidado importante para ter segurança na compra é verificar o endereço da loja na barra de busca. Só compre se houver o protocolo https. Além disso, quando você vai fazer a compra, aparece um cadeado na barra inferior. Clique nele e só finalize o procedimento se aparecer o certificado de segurança do site.

É bom saber também que um site nunca pede a senha do cartão. Lembre-se de utilizar computador pessoal, de forma a evitar que os dados fiquem armazenados em ambiente não seguro e sejam usados por outras pessoas. Não use computadores públicos para essas aquisições.

Sugerimos também procurar saber sobre os e-commerces em páginas como o Reclame Aqui e nas redes sociais.

Compre em lojas que oferecem cashback

O cashback é um programa de incentivo, em que a operadora de cartão de crédito devolve um percentual do valor gasto na compra. Essa estratégia é muito vantajosa e pode gerar uma boa economia. Lojas como TNG, Morena Rosa e OQVestir são ótimas opções que oferecem cashback em parceria com a Mooba.

Consumir online proporciona comodidade, segurança, conforto e diversidade de opções. Há alguns cuidados importantes para tomar, como verificar a integridade da empresa e avaliar bem os tamanhos das peças. Lembre-se também de verificar a política de troca da loja antes de fechar a compra. Assim, você evita transtornos e tem sucesso para montar o visual.

E então? Gostou de saber como comprar roupa online? Confira também as nossas dicas especiais para economizar!