Quanto custa viajar para a Disney? Veja como viajar economizando

Sair de férias e ir com a família ou os amigos para a Disney é o sonho de muita gente, mas esse sonho ficou bem mais caro com o real depreciado em relação ao dólar. No entanto, existem diversas formas de economizar e viabilizar essa viagem.

Por isso, vamos ver quanto custa viajar para a Disney, além de quais são as opções para reduzir os gastos e passar dias maravilhosos nos parques de Orlando. Adiantando, saiba que dá para poupar em quase tudo: passagem, hospedagem, alimentação, ingressos para os parques, compras e transporte.

Neste post, damos todas as dicas para você se dar bem sem entrar no vermelho. Confira!

Quais são os principais gastos de uma viagem para a Disney?

Vamos começar falando quais são as principais despesas que temos quando vamos para Orlando. Os três itens de maior preço são: passagens, hospedagem e ingressos para os parques. Sim, os ingressos são caros: custam uma média de US$ 100 por dia a cada parque.

Se você for em uma família de quatro pessoas, por exemplo, são US$ 400. Caso vá aos parques em sete dias, já são US$ 2.800. Considerando, para o nosso exemplo, que o dólar esteja cotado a R$4,30, temos R$ 12.040 apenas de ingressos.

Além desses gastos, há alimentação, transporte e compras — porque ninguém é de ferro!

Como economizar na viagem para a Disney?

Agora que já sabemos quais são as principais despesas, vamos ver como gastar menos em cada uma delas.

Acomodação

Quando pensamos na Disney, já nos imaginamos naqueles hotéis dentro dos parques, vivendo o mais intensamente possível a experiência. Sim, essas hospedagens são legais, mas também são bem mais caras.

Sem contar que, depois de passar um dia inteiro caminhando no parque, você só quer uma cama para deitar, então essa experiência pode nem valer tanto a pena assim. Existem duas outras opções mais baratas e que podem economizar uns bons cobres.

A primeira delas é ficar em um hotel fora dos parques. Existem vários muito bons por preços bem mais camaradas. A segunda é alugar uma casa. É possível ficar bem acomodado, em locais grandes, confortáveis e espaçosos, pagando bem menos do que nos hotéis da Disney.

Dê preferência às casas dentro dos condomínios, que são totalmente seguras e, muitas vezes, têm piscinas privativas — o que é excelente se você for no verão. Essa opção ainda traz uma vantagem adicional, que veremos a seguir.

Alimentação

A comida nos parques é cara. Quanto à qualidade, tem de tudo, mas alugar uma casa pode ajudar muito se a ideia for economizar. Compre os alimentos no supermercado para fazer o café da manhã e o jantar em casa.

Nos Estados Unidos, a oferta de pratos prontos congelados é enorme e sai muito mais barata do que comer fora. Mesmo que você não esteja no pique de cozinhar, dá para chegar em casa, colocar no micro-ondas e ser feliz gastando muito pouco.

Ainda que esteja hospedado em um hotel, muitos deles disponibilizam o micro-ondas para os hóspedes. Basta passar no mercado na volta para casa e pegar sua refeição.

Compras

As pessoas que entram nos parques acabam se encantando com as lojas, pois tudo é lindo e você está envolvido por aquela experiência. Mas a verdade é que tudo lá dentro é bem mais caro. Você consegue comprar os mesmos itens em qualquer supermercado pagando muito menos. Por isso, não se empolgue.

Além disso, quem quer fazer compras mesmo deve reservar um tempo para ir aos dois outlets de Orlando. Uma dica é entrar nos sites das lojas e pegar os cupons de desconto, que são sempre uma ótima forma de economizar.

Outra forma de conseguir bons preços é comprando online (na Amazon de lá, por exemplo) e mandando entregar onde você estiver hospedado.

Passagens aéreas

Não chega a ser uma novidade dizer que viajar na baixa temporada é muito mais barato do que na alta. O problema é que muita gente só consegue ir na alta mesmo, especialmente quem tem filho em idade escolar.

Independentemente disso, passagens compradas com uma boa antecedência costumam ser bem mais baratas. Adquira as suas pelo menos cinco meses antes, pois os preços logo começam a subir.

Transporte

A melhor forma de se locomover em Orlando é alugando um carro. A cidade é grande e os parques são distantes uns dos outros. Caso você queira fazer compras, o veículo também vai ser útil. É possível encontrar diárias por volta de US$ 50. Use um comparador de preços para achar a opção ideal para você.

Uma dica importante: quando chegar lá, compre um chip para o seu celular, que custa apenas US$ 55 e dá direito a ligações, internet e SMS ilimitados. Assim, você pode usar seu celular de GPS e não precisa alugar o que as locadoras oferecem para o carro, que representa um adicional de US$ 10 por dia.

Ingressos

Muitas pessoas deixam para comprar os ingressos na bilheteria dos parques. No entanto, isso pode ser um erro. Além de pagar os 6% de IOF pelo fato de comprar em dólar, lá não é possível parcelar o pagamento.

Sem contar que muitas agências de viagens no Brasil conseguem ingressos com descontos e fazem pacotes promocionais. Então, vale a pena pesquisar antes de ir e já sair do Brasil com uma obrigação financeira a menos.

Cashback

Você sabia que é possível receber de volta parte dos valores gastos nas passagens aéreas ou nos pacotes para a Disney? Para tanto, basta fazer a compra em uma das lojas parceiras da Mooba — como a Submarino Viagens, que está com 3,5% de cashback.

Vamos supor que você compre um pacote de dez dias para uma família de quatro pessoas, com duas crianças, por R$ 9 mil (incluindo passagens e hospedagem). Com esse valor, seria possível receber R$ 315 de cashback. Já é uma boa economia, não?

Neste conteúdo, vimos quanto custa viajar para a Disney e também quais são as melhores formas de gastar menos, transformando um sonho em realidade mesmo com a cotação do dólar nas alturas. Não deixe de aproveitar as férias com a família e se divertir bastante!

Gostou do nosso conteúdo? Então, curta também nossa página no Facebook e acompanhe em tempo real outros conteúdos como este!

Deixe uma resposta

Seu email nunca será publicado. Campos obrigários são marcados com *