5 dicas para manter suas redes sociais em segurança

Se livrar da geomarcação e usar abas anônimas ajuda a deixar criminosos longe

Graças a medidas de segurança adotadas pelas redes sociais, o número de ataques graves através delas tem diminuído. Os criminosos digitais não mais conseguem tirar proveito de usuários no Facebook e Twitter, por exemplo, como uma vez já conseguiram.

Porém, ainda assim, alguns cuidados de segurança são interessantes para evitar alguns incômodos – grandes e pequenos. Confira cinco dicas:

1) Verificação em duas etapas

Muitas redes sociais possuem algum modelo de acesso em verificação de duas etapas. Com isso ativado, você precisa usar, além da sua senha, um código recebido por SMS ou gerado em um aplicativo no seu celular.

A verificação em duas etapas, embora reduza um pouco sua conveniência no acesso, oferece uma alta proteção contra ataques, já que um invasor não conseguirá acessar sua conta nem mesmo tendo sua senha. Ele precisará, além da sua senha, do acesso ao seu celular.

No Facebook:

seguranca

seguranca-2

2) Use uma boa senha

É possível usar as redes sociais para se conectar a outros serviços, dispensando a criação de novas credenciais de usuário e senha. Muitas lojas on-line, por exemplo, já são compatíveis com login via Facebook.

É muito importante, especialmente caso você use esse tipo de conveniência, que sua conta tenha uma boa senha. Se a sua senha puder ser adivinhada por alguém, essa pessoa poderá ter acesso a todos esses outros serviços em que você usou o Facebook para entrar.

E como um possível invasor pode saber onde você se conectou? Ora, o Facebook mantém um registro desses acessos (clique aqui para ver quais aplicativos tiveram acesso autorizado pelo Facebook). Isso significa que, caso alguém acesse seu Facebook sem autorização, eles também terão acesso à lista de serviços conectados e poderão checar suas informações lá, aumentando o “rombo” na sua privacidade.

3) Fique de olho nas configurações de privacidade

Você precisa mesmo compartilhar tudo o que posta com todas as pessoas?

As redes sociais oferecem opções para limitar quem tem acesso ao que você publica. O Twitter oferece a opção “Proteger meus tweets”, que só libera suas publicações a quem você autorizar (acesse essa e outras configurações); o Instagram possui a opção idêntica chamada de “Conta privada”. Você pode alterar entre essas opções livremente, ou seja, uma conta privada pode voltar a ser pública a qualquer momento.

O Facebook é um pouco diferente. Você pode trocar publicações antigas de “Público” para particulares (“Somente amigos”), com o “Limitar publicações anteriores”, mas o processo é irreversível. Caso você queira liberar o acesso às publicações novamente, você será obrigado a alterá-las uma a uma. (Acesse as configurações do Facebook).

4) Precisa mesmo de geomarcação?

Acabou de tirar uma selfie? O aplicativo do celular pode incluir na foto uma informação de geolocalização, identificando onde a foto foi tirada. Essa informação pode ainda ser incluída em todas as suas fotos tiradas com o celular e sincronizadas para serviços como Google Drive, OneDrive ou iCloud, o que pode expor desnecessariamente sua privacidade no futuro caso você sofra um ataque.

O Twitter também possui a opção de marcar todos os Tweets com uma geomarcação e é importante ter cuidado ao ativar esse recurso. O Instagram e o Facebook removem os detalhes de GPS das fotos, mantendo apenas uma localização aproximada. Ainda assim, isso pode incluir a cidade onde você está, o que pode ser mais do que você gostaria de compartilhar. Um recurso excelente em uma viagem, que liga as fotos e Tweets pelos lugares que você passou, pode não ser muito benéfico depois que você volta para casa. Certifique-se de que a geomarcação só está ativa quando ela é útil para você.

5) Clique anônimo

Criminosos podem utilizar truques para espalhar links aparentemente interessantes, mas que levam você para páginas com conteúdo indesejado ou que tentam lotar seu navegador com pop-ups e outros incômodos.

É nessa hora que o modo anônimo do seu navegador pode ser útil. Acesse a rede social pelo modo normal do seu navegador e, ao clicar em um link que parece “bom demais para ser verdade”, clique com o botão direito e acesse a opção de navegação anônima. No Firefox, a opção se chama de “privativa”. O link abrirá em uma nova janela, mais segura.

seguranca-3

O Facebook também pode exibir um aviso sobre o redirecionamento da página (isso é normal, porque o Facebook não consegue “ver” que você seguiu o link do site em uma janela anônima). Apenas confirme o acesso.

Isso também protege você de páginas que tentam convencer você a “curtir” alguma página ou ceder acesso ao seu perfil, já que você não estará logado no Facebook na janela anônima. Para continuar seu acesso ao Facebook, volte para a janela não anônima/privativa – não faça login no Facebook pela janela anônima.

Fonte: (Reclame AQUI Notícias)