Categoria - Consumo

dicas sobre consumo

Especial: 25 direitos do consumidor – Parte 4

Bora conferir mais cinco direitos do consumidor?

  1. Foi mal atendido dentro de um shopping?

Se você for mal atendido em uma loja ou por um segurança, o Serviço de Atendimento ao Cliente do estabelecimento pode ajudar, não deixe de procurá-lo e deixar sua reclamação registrada.  Leia mais

Especial: 25 direitos do consumidor – Parte 3

Vamos conhecer mais 5 direitos do consumidor na terceira edição do Especial?

  1. Devendo na praça? Saiba seus direitos neste tipo de cobrança!

Durante a cobrança de dívidas, o fornecedor não pode utilizar-se da fraqueza ou da ignorância do consumidor como vantagem. Ele também não pode beneficiar-se da sua idade, saúde, conhecimento ou posição social na contratação de um produto ou serviço. Leia mais

Especial: 25 direitos do consumidor – Parte 1

Para fazer valer nossos direitos é preciso conhecer algumas informações fornecidas pelo Código de Defesa do Consumidor. E para te ajudar nessa tarefa, teremos um especial com 25 direitos para você se manter informado.

Durante essa semana serão postados cinco direitos do consumidor por dia. Então, fique ligado no nosso blog e acompanhe! Leia mais

Conheça 5 práticas abusivas cometidas por serviços e comércios

Muitos consumidores já passaram por  práticas abusivas pelo simples fato de desconhecê-las. Elas se caracterizam pela vantagem excessiva do fornecedor em relação ao cliente, seja na prestação de serviço ou no comércio.

É sempre bom ter alguém que te ajude nesses caso e, por isso,  separamos  5 práticas abusivas comuns e maneiras que  você pode se proteger delas: Leia mais

Quantas vezes você já adquiriu um produto e desistiu da compra?

Muitas pessoas passam por essa situação, o que poucos sabem é que isso é um direto do consumidor. E para te ajudar a entender quais são seus direitos, separamos algumas regras em caso de desistência de telefonia, academias, pacotes de viagem e ingressos.

Pacote de viagens

Nos pacotes de viagens, que normalmente são pagos antecipadamente, as compras realizadas pela internet ou telefone podem ser canceladas, sem custo e com a devolução integral do dinheiro, desde que até em sete dias após a compra. Se prazo para a viagem é menor que os sete dias da data da compra, a desistência deve ser comunicada num período que permita a venda do pacote para outros consumidores.
Nas lojas físicas, não há direito de arrependimento: a desistência deve ser negociada diretamente com a agência. A multa, nestes casos, não pode ultrapassar 10% do valor contratado, sob pena de ser considerada abusiva.

Em situações excepcionais, como crises sanitárias, a multa legalmente prevista pode não ser aplicada. Ao cancelar a viagem, o cliente deve pedir a devolução integral dos valores já pagos.

Academias

Se o consumidor não conseguir pagar mais a academia e precisar cancelar contratos semestrais ou anuais, deve verificar as parcelas que já foram pagas. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, a academia está autorizada a cobrar uma multa se o aluno quiser cancelar seu plano contratual.

A multa não pode exceder 10% do valor proporcional aos meses restantes até o fim do contrato. Se o pagamento é feito mensalmente, é importante comunicar a desistência antes de iniciar o período referente à renovação do mês. O aluno deve comunicar por escrito a intenção de cancelar o contrato.

Telefonia

Quem já tentou cancelar um serviço de telefonia sabe que essa é uma tarefa difícil.
De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), quando o cliente solicitar a rescisão do contrato de prestação do serviço por meio de um atendente, a cobrança do serviço deverá ser interrompida imediatamente. Quando o pedido for registrado sem intervenção de atendente, terá efeito após 2 dias úteis. As multas contratuais e eventuais valores residuais, como os valores proporcionais ao tempo do fechamento do último ciclo de faturamento, poderão ser cobrados.

Nos serviços de telecomunicações, é possível existirem cláusulas de fidelização de no máximo 12 meses. Nessa situação, o cancelamento do contrato pode resultar em multa proporcional ao tempo restante para o fim do contrato e ao benefício recebido. A multa não será devida se a desistência for solicitada em razão de descumprimento de obrigação contratual ou legal da prestadora.

Ingressos

Muitos consumidores ainda têm dúvidas sobre a desistência da compra de ingressos.
Assim como para outros produtos, o consumidor pode desistir do serviço até sete dias contatos do recebimento do ingresso. Mas, lembre-se sempre, os sites especializados, seja no campo ajuda ou política de venda, trazem regras próprias para o consumidor que deseja desistir da compra. Não deixe de olhar!

Não se esqueça! Desistir de um serviço contratado é direito de todo consumidor. Neste momento, no entanto, é necessário atenção a alguns aspectos. Uma dica é sempre procurar fazer o cancelamento de qualquer contrato por escrito, de preferência com cópia protocolada.
Se for por telefone, o ideal é anotar data, hora, nome do atendente e o número do protocolo do cancelamento.

É importante saber também que as multas por desistência não podem ultrapassar 10% do contrato se nenhum serviço tiver sido prestado.