Dicas para fazer sua viagem internacional com segurança

Mesmo com o dólar em alta, e o euro mais ainda, quem fizer um bom planejamento junto a uma boa pesquisa de custos, consegue fazer a tão sonhada viagem ao exterior.

No entanto, se aventurar em outro país exige alguns cuidados especiais para que nada saia diferente do planejado. São vários os fatores que podem fazer de um passeio relaxante um estresse, como extravio de bagagem e falta de documentação.

Estar sobre outra legislação pode levar alguns consumidores ao engano na hora de reivindicar alguns direitos. Por isso, que tal algumas dicas para garantir uma estadia sem dor de cabeça?

Informações claras

As empresas e transportadoras devem disponibilizar cartazes e/ou painéis que constem todo tipo de dado necessário para o cliente, como os valores de passagens e acréscimos de seguro, destinos e horários.

Tudo por escrito

Tudo o que for ofertado pela empresa deve ser colocado no papel, seja referente aos voos, hotel, instalações ou passeios. Esses itens devem ser bem detalhados. Ao assinar o contrato, consumidor tem direito ao acesso de todos os detalhes descritos no pacote.

Documentos

Antes da viagem é preciso verificar do país que será visitado o clima, a moeda, a situação política, e checar qual a diferença de câmbio entre a moeda do Brasil e a do local que chegará.

Para quem viaja para os países do Mercosul, por exemplo, somente a identidade é necessária para ter a entrada permitida, mas para a Europa é solicitado o passaporte.

Check-in de cada voo

A recomendação é chegar com duas horas de antecedência para fazer o chek-in nos voos internacionais. Essa exigência se dá devido à organização de logística da empresa e acomodação dos passageiros, para que os voos saiam nos horário.

Em voos internacionais, deve se levar em conta que o consumidor poderá passar pela imigração, que irá checar seus documentos. Com isso, é preciso tomar cuidado para não perder a saída mesmo se estiver no aeroporto.

Roubo de bagagem ou extravio

Quando a bagagem é entregue no check-in passa a ser responsabilidade da companhia aérea ou marítima. Caso a mala seja extravidada, a companhia tem o dever de indenizar o consumidor.

Caso seja roubado, o consumidor deve ser indenizado e a bagagem deve ser entregue em um período de 24 a 48 horas, mas a indenização depende da legislação do país. Uma boa dica é identificar a bagagem colocando fitas adesivas e uma etiqueta com seus dados, além de evitar colocar objetos de valor, dinheiro, joias e aparelhos caros.

Em caso de problemas, registre

Caso seja prejudicado durante a viagem, fotografar a situação pode ser uma saída para ter provas concretas do que aconteceu, além de guardar tudo o que possa caracterizar para dar força ao seu argumento para a reparação de danos morais.

Destinos para fugir do dólar

Países que não adotam o dólar como moeda são sempre bem-vindos como destinos de viagem em épocas de crise econômica. E não é só na América Latina que você irá encontrá-los. Confira nossa lista com alguns deles e boa viagem: Chile, Egito, Uruguai, Colômbia, Polônia, Equador, Índia, Indonésia, Peru e Argentina.

 

Quer ver alguns pacotes de viagens e decidir seu destino? Veja com as empresas parceiras da Mooba e ganhe parte do dinheiro de volta!