Foi-se o tempo em que as únicas ameaças às quais você poderia se expor estavam nos ambientes reais. Hoje em dia, entrar na internet também significa se deparar com riscos — muitas vezes até maiores do que aqueles existentes no mundo off-line.

Por isso, todo equipamento utilizado para o acesso à internet deve estar equipado com os melhores mecanismos de proteção. Penando em ajudar você, explicamos neste post como funciona um antivírus e por que nunca se deve abrir mão de utilizá-lo. Tenha uma boa leitura!

O que é um antivírus?

Podemos definir um antivírus como programa desenvolvido com o objetivo de proteger um computador quanto a ameaças ou invasores, que têm o intuito de executar ações maliciosas contra o usuário daquela máquina e os dados ali salvos.

Usando esse recurso, o dispositivo fica com um grau de proteção maior e consegue evitar arquivos, e-mails ou sites infectados. Como resultado, é possível aumentar a segurança durante toda a navegação e evitar problemas maiores, capazes de comprometer a segurança ou a vida útil do computador.

Como funciona um antivírus?

Mas como funciona um antivírus, afinal? Esse tipo de programa parte do princípio de que todo conteúdo externo pode oferecer riscos a seu comportador, incluindo arquivos transferidos por um pendrive, programas baixados, e-mails recebidos ou acessos a sites suspeitos.

Diante desses perigos, um antivírus funciona como guardião para sua máquina, analisando a procedência de todos os arquivos baixados ou inseridos no computador. A verificação geralmente é feita com base em duas formas de ação: comparando o arquivo a uma lista de vírus conhecidos ou identificando comportamentos suspeitos.

O primeiro método costuma ser o mais eficiente, uma vez que utiliza dados sobre vírus que já infectaram outros computadores. A partir desse alerta, o usuário é notificado, podendo decidir se prossegue utilizando o arquivo, se o exclui ou se o encaminha à chamada quarentena — para que fique em um local isolado na memória do computador e haja uma tentativa de salvar os dados armazenados.

No segundo método, o antivírus tenta identificar padrões de comportamentos comuns aos arquivos maliciosos, como tentativa de alterar documentos ou informações do sistema operacional.

Na hora de escolher um antivírus, a pessoa vai se deparar com várias opções, entre as gratuitas e pagas. Obviamente, as alternativas pagas oferecem soluções de segurança mais completas. De todo modo, o usuário comum deve analisar suas necessidades e avaliar se vale a pena arcar com um antivírus.

Por que você deve manter seu antivírus atualizado?

Entender como um antivírus funciona ajuda a perceber a importância de manter esses programas atualizados sempre com a última versão disponível. Isso porque sua ação depende de uma lista que seja a mais recente possível e inclua todas as ameaças que estão circulando.

Sem essa relação completa e atualizada, o programa pode ter dificuldade em identificar ou barrar agentes maliciosos (que surgem aos milhares todos os dias). Ou seja: um antivírus sem atualizações constantes terá sérias dificuldades em cumprir seu papel de forma eficiente.

Agora que você já sabe como funciona um antivírus, verifique se o seu computador, notebook ou mesmo celular tem esse programa instalado e se a versão utilizada está atualizada. Isso o ajudará a ampliar sua segurança em todas as transações do dia a dia, incluindo operações bancárias e compras online.

Nosso conteúdo foi útil para você? Então, compartilhe-o nas redes sociais e ajude seus amigos a se manterem protegidos!

Please follow and like us: